BLOG


Qual o padrão de Deus para o relacionamento entre duas pessoas comprometidas com a santidade?

casalÉ certo que a Bíblia não cita o namoro, mas fala de noivado e casamento, de relacionamentos entre pessoas. Esses relacionamentos devem ser honestos, maduros e responsáveis. Não queremos impor lei, regulamento ou regra, mas uma direção que o ajudará a facilitar sua vida sentimental.

“Ficar” não é um relacionamento responsável, mas um momento de prazer e “curtição” ligado ao nosso lado carnal. É o argumento de um espírito mundano que leva as pessoas a um sentimento de fracasso nos relacionamentos. E quanto mais se “fica”, mais insatisfeitas com a vida se tornam, pois os relacionamentos superficiais geram mais ansiedade que felicidade.

Em um relacionamento saudável o “ficar” poderia ser substituído pela amizade especial, onde o contato físico não é o foco central do relacionamento, mas uma proximidade sem um compromisso estabelecido.

Esse tempo pode ser no mínimo de três meses, quando o casal estará orando e buscando a direção de Deus. Esse período os ajudará a evitar mágoas e sofrimentos desnecessários que podem comprometer seu crescimento como pessoa e vida espiritual.

O reino de Deus tem princípios e valores diferentes do mundo do qual você veio. Você pode viver de forma diferente, ter uma vida saudável, sem medo ou culpa, uma vida produtiva e separada. Você vai se maravilhar com os conceitos e valores de Deus para você. O reino de Deus lhe provê uma nova maneira de falar, de agir e de sentir!

Você é nova criatura! Tudo é novo! Isso significa que se você mentia, não mentirá mais. Aquele que roubava, não roubará mais! Quem falava palavrões, não falará mais! No lugar da mágoa e da amargura haverá o perdão! Aquele que “ficava” vai orar e buscar a vontade de Deus. Enquanto ora, inicia um período de pré-namoro, amizade especial ou qualquer outro termo de julgar apropriado.

É muito importante entender que isso não é uma lei, mas uma orientação que os levará, ou não, para um compromisso de namoro, com os olhos voltados para o futuro: um casamento feliz!

Sem dúvida alguma, o romance é ótimo, a taração é fundamental, a sexualidade é uma benção. Mas é importante saber que tudo isso tem de estar baseado em um laço de amizade e respeito pela outra pessoa. Por isso, antes de iniciar um namoro ou qualquer outro compromisso, construa um forte laço de amizade.

Um admirável psicólogo cristão disse, certa vez: “o que eu recomendo a você, solteiro, é: não vá para cama, a menos que vá sozinho”.

Vivemos em um mundo em que há uma avalanche epidêmica 38 doenças, sexualmente transmissíveis. E, a cada ano, novos micro-organismos devastadores se proliferam.

Especialistas em saúde advertem: não existe o chamado sexo seguro fora de um relacionamento monogâmico. Até mesmo a camisinha não é segura em se tratando do vírus da AIDS  de outras DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

Mas em meio a uma geração sem limites e propósitos, levada pelas paixões da carne, existem pessoas que dizem não ao sexo antes do casamento. Uma geração que deseja fazer diferença em sua sociedade; pessoas que desejam que seu casamento seja para toda a vida e que o considerem um investimento valioso que, nas mãos de Deus, se tornará poderoso instrumento de bençãos. Pessoas que escolheram esperar o tempo certo para isso. E esse tempo é após o casamento.

Bispa Lúcia Rodovalho ministra nos Congressos de Homens e Mulheres em Campo Grande/MS

Nos dias 25 e 26 de agosto,  Bispa Lúcia Rodovalho ministrou na cidade de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, no Congresso de Homens e de Mulheres. No primeiro dia, 25, falou sobre o tema  A vida emocional do homem. “Para que você possa crescer é preciso deixar a influência dos antigos mestres e tomar a liderança da sua vida,” afirmou.

Na terça, 26, pregou no Congresso de Mulheres baseada no livro bíblico de Isaías 55:10, sobre Confiança. “Eu preciso confiar que Deus tem o melhor caminho, o melhor pensamento para mim, mas muitas vezes o coração contaminado cega os olhos da fé e nos leva a fazer escolhas erradas.”

Confira fotos

 

A aliança como fundamento para a família

A aliança como fundamento para a famíliaO amor que serviu para unir os cônjuges não é suficiente para mantê-los unidos ante as pressões da vida. Hoje em dia o amor é fruto de uma ilusão que mantemos em relação ao cônjuge e fundamentado, em grande parte, em uma troca de interesses: “se você fizer, eu faço; se você não fizer, eu não faço”. Por isso muitos casamentos se desfazem e rompem suas alianças logo que as expectativas criadas não são mais atendidas. Com o passar do tempo, os sentimentos não morrem, mas ficam “congelados” e o amor que resta tende a não resistir às pressões.

O casamento deve ser baseado na Palavra de Deus, pois ela nos capacita, motiva e renova em nossos corações o amor que procede d’Ele. Deus nos ensina em Sua Palavra como podemos viver em plenitude no casamento, seguindo princípios básicos de Aliança. Deus nos ama e não quebra a Sua Aliança. Ao nos comprometermos com Sua Palavra, Ele é fiel para tratar dos nossos corações mantendo firme a nossa Aliança diante das situações que trazem dor.

Quando honramos as alianças em nosso lar, o diabo não pode roubar o nosso cônjuge ou os nossos filhos. Quando uma família é formada, seus membros fazem uma aliança que é reconhecida na terra e nos céus.

Lembre-se: quando Deus restitui a relação da família, a aliança entre seus membros é restaurada!