Quem é você diante de um conflito?

Em tempos difíceis é preciso saber lidar com os conflitos. Por meio das histórias da Bíblia podemos aprender muitas coisas, inclusive a ser mais fortes e compreender os caminhos de cada batalha. Um grande exemplo no leva ao Egito. José foi vendido pelos irmãos, foi tratado como escravo, trabalhando na casa de Potifar onde alcança uma posição de destaque, Ele foi deixado sozinho ali com a esposa de Potifar e José era um homem bonito, que chamava a atenção e se tornou objeto de desejo daquela mulher. José diz não àquela mulher adúltera, pois ele sabia que aquilo seria trair o seu senhor e seria, também, um pecado contra Deus.

No texto de Gênesis 39:8, em cima da palavra “recusou” aparece de novo essa nota musical, que é o chauchelet. Significa que ele recusou aquela proposta, mas depois de muito conflito. O conflito de José é semelhante ao conflito de Eliezer e de Ló, pois envolvia a questão de identidade.

Ló havia se misturado com Sodoma, ele já não estava muito certo de quem ele era. Eliezer estava em crise porque ele podia trair o seu senhor e tomar o lugar que não era dele.

José, depois de quase vinte anos longe do seu povo e de seus costumes, longe do seu pai e do seu Deus. Ele já havia pegado muitas coisas dos egípcios, ele usava roupa dos egípcios, ele pintava os seus olhos, ele tinha aprendido muito naquele tempo ali. E, quando aquela mulher bonita se oferece, ele tinha duas opções: ceder como os egípcios fariam, porque aquele povo não tinha uma visão de moralidade tão rígida, ou ele ficava firme em seus princípios, lembrando de que, apesar de estar escravo no Egito. ele era hebreu que servia ao Deus todo-poderoso. José hesitou e quase caiu.

Com considerável esforço, José resistiu. Foi um conflito, então, entre a tentação e a identidade. A questão que José teve de decidir ali não era sobre estar certo ou errado, mas sim sobre ser hebreu ou ser egípcio.

Se ele julgasse que tinha se transformado em um egípcio, ele teria uma flexibilidade moral que não o impediria de trair ao seu amo. Se ele julgasse que, mesmo escravo, distante do seu povo, abandonado por sua família e, talvez, até por seu Deus, ele fosse um hebreu temente ao Senhor, ele saberia que aquilo era errado, um pecado duplo, contra o seu amo e contra seu Deus.

O ser humano, sempre, estará diante de situações assim. Todos três episódios são sobre conflito interior e identidade. Não é apenas uma questão de decidir o que fazer naquela situação, mas algo mais amplo, é sobre decidir que tipo de pessoa a gente quer ser.

Suas decisões diante das crises mostram que tipo de líder é e qual tipo de líder você quer ser. Que tipo de cônjuge ou pai, você é ou quer ser.

Quando o anjo toma Ló pela mão, Ló vai e não olha para trás. Ele faz assim porque ele decidiu o que ele queria para a sua vida. Sua esposa, contudo, olha para trás.

Ló decidiu que era  um hebreu, sobrinho de Abraão, que servia a um Deus todo-poderoso, ele decidiu que não era um cidadão de Sodoma.

Eliezer decidiu que, apesar do seu sentimento dizer o contrário, ele não era herdeiro legítimos, mas sim, servo de Abrão. José decidiu que não era um egípcio, portanto, não poderia viver como tal. Ele decidiu que, apesar da situação, ele era um hebreu, filho de Jacó. Sempre há conflitos envolvidos. O que vai fazer diferença para você prevalecer no momento de conflito é o seu comprometimento. A palavra comprometimento vem da palavra compromisso, que do latim significa cumprir uma promessa. Para prosseguir e viver em excelência, você precisa avaliar o seu comprometimento.