O amor é uma escolha que vence o medo

Evidentemente, o amor é uma escolha que vence o medo de ser traído ou rejeitado. Quem se tranca em suas fortalezas com medo de ser ferido, fica impedido por essas mesmas defesas de amar e de ser amado. Jesus desafiou a mulher samaritana a receber o dom de Deus, que é o amor, e, assim, todas as demais coisas lhe seriam acrescentadas.

Quer ver sua vida mudar radicalmente? Pare de mendigar amor e comece a amar. Pare de reivindicar suas necessidades e comece a servir. Em vez de cooperar para a multiplicação da maldade, não se canse de fazer o bem. A esperança de um mundo melhor está nas mãos de quem conhece e pratica o amor ágape. O mesmo poder e a mesma escolha que Jesus ofereceu à mulher do poço de Jacó estão disponíveis a nós hoje.

Jesus ensinou que, se amássemos a Deus de todo nosso coração, alma e entendimento e ao próximo como a nós mesmos, estaríamos cumprindo a lei de Moisés. Esse amor expresso por Jesus na cruz é mais que um sentimento ou emoção; é um amor sublime, objetivo e prático que independe de nos sentirmos bem ou mal, alegres ou tristes. Não tem relação com o fato de você ter sido ou não amado por seus pais; desprezado ou não por pessoas no passado. Amar como Jesus amou, é uma questão de ser tocado pelo amor ágape e escolher quebrar um ciclo interminável de amar com segundas intenções, para amar sem esperar receber nada em troca.