Qual tem sido a sua desculpa para não encarar o medo?

Há três mecanismos de defesa que impedem o ser humano de se relacionar de forma plena e saudável com outras pessoas. A negação é o mecanismo mais simples e comum. A negação do indivíduo de que tem medo o impede de se apropriar da graça, do perdão e da libertação de Deus. Isso ocorre, por exemplo, com quem tem medo de compromisso e opta por “ficar” com alguém para não se envolver emocionalmente com ninguém. Mas isso é sinal de covardia e imaturidade e não de coragem.

Somente pessoas madura e corajosas tomam o passo de entrar em aliança com alguém para construir juntos uma história de amor, responsabilidade, aliança e conquista verdadeiros. Quem opta pelo mecanismo de defesa do medo para se proteger de sofrimentos, na verdade, paralisa seu crescimento e realização pessoal.

A racionalização é o mecanismo mais complicado. A pessoa tenta justificar e apresentar razões para seu medo, mas termina por enganar a si mesma. Essa pessoa precisa ter coragem de confessar seus medos diante de Deus e de pessoas de sua confiança para que haja mudança em sua vida.

A projeção é o nível mais avançado de defesa. É uma forma de transferir para outros seus defeitos e dificuldades, projetando nos outros a culpa por seus próprios problemas. Quem age assim tem medo de admitir suas próprias limitações e fraquezas. Precisamos assumir quem somos diante de Deus e, pelo menos, querer superar o medo.

Certamente, Jesus virá para destrancar as portas de nosso coração e para nos dar coragem de dar os primeiros passos em obediência à sua direção. Que Jesus possa destrancar as chaves de nosso coração para que sejamos livres de mecanismos de defesa que impedem que nos relacionemos de forma plena e verdadeira com nossa família e com o corpo de Cristo.