Coragem é fazer aquilo que causa medo

As nossas atitudes é que nos levarão a realizar as mudanças necessárias em nossas vidas para alcançarmos nosso propósito e a vida plena. Infelizmente, o que nos impede de mudar é a falta de atitude, e o que está por trás dessa falta de atitude é o medo. Um sentimento que pode ser tanto um limitador quanto um motor poderoso para nosso crescimento.

Não é mera coincidência que o pânico (manifestação mais intensa ou aguda de um medo), é o transtorno que mais leva as pessoas aos atendimentos médicos ou hospitalares. No entanto, esse sentimento que pode debilitar, também pode dar às pessoas a possibilidade de transformá-las e tirá-las de uma vida restrita e sem perspectivas.

O medo, quando encarado, pode se transformar em algo positivo, pois o enfrentamento abre novas portas outrora fechadas pela paralisia. Ter atitude ou coragem não significa não ter medo. Ao contrário, coragem é fazer aquilo que causa medo e nos prende. O temor, o medo e a criatividade andam de mãos dadas. Por isso, precisamos ter cuidado em como lidamos com esses sentimentos, pois na tentativa de acabar com o medo podemos aniquilar a criatividade.

O medo leva as pessoas a pensar que seus anseios e sonhos são inalcançáveis. Alguém disse certa vez que “o medo é um grande ferro-velho abarrotado onde nossos sonhos são largados para definhar sob o sol escaldante”. Se pararmos para analisar friamente, aquilo que tememos nos últimos 5, 10, 20 ou 30 anos, nunca aconteceu. Se não aprendermos a dar um sentido ao nosso medo, nomeá-lo e enfrentá-lo, ele pode paralisar nossa vida e gerar ataques de raiva e pânico.