Especial Dia dos Pais – É imprescindível que o pai entre em cena na criação dos filhos

Próximo domingo é comemorado o Dia dos Pais e, nesta semana, aqui no blog, vou falar sobre Paternidade e criação de filhos. Hoje quero falar da importância do pai na criação deles. Faz parte da natureza maternal proteger os filhos quando estes são indefesos. Essa função é extremamente importante. Porém, à medida que os filhos crescem, é necessário que o pai entre em cena. Se ambos, pai e mãe, exercerem devidamente seus papéis, a criança será bem-sucedida e haverá equilíbrio em suas emoções.

Os homens devem ter responsabilidade e disponibilidade para proteger, educar e emancipar seus filhos. Os filhos precisam de proteção, de se sentirem supridos nas suas emoções. Esse suprimento inclui os cuidados, o colo, o apoio na infância, o diálogo na adolescência, a formação moral, intelectual, profissional e espiritual que encaminhem os filhos para que tenham uma vida feliz. Os filhos precisam conhecer e conviver em intimidade com seu pai. Isto os fará se sentirem seguros.

Muitos pais erram em querer continuar, em casa, o papel que desempenham profissionalmente, fazendo do seu lar uma continuação do seu ambiente de trabalho. Se o pai for advogado, transformará as discussões do lar em causas e não vai querer perder nenhuma. Se for vendedor, tentará “pechinchar” as tarefas e deveres com os filhos, vendendo-lhes favores. Se for bancário, ao chegar em casa, tratará os filhos como clientes de um banco: todos serão atendidos de acordo com o seu lugar na fila, depois de preencherem os formulários e sem esquecerem da senha. Se for militar, transformará o lar em caserna e tratará os filhos em regime ditatorial. Nesses casos, eles precisam fazer um “crachá de pai”, semelhante ao que usam nos seus trabalhos, para lembrá-los de que devem desenvolver em casa a função de criar filhos capazes de enfrentar a vida.