Especial Dia dos Pais – Papeis fundamentais do genitor

Continuando sobre o tema Paternidade, hoje quero resgatar algumas funções que devem ser exercidas pelo genitor na criação dos filhos e que irão refletir ao longo da vida.

1) Impor limites  

Como quando estão aprendendo a andar, os filhos precisam saber até onde vão os seus limites. O aprendizado da palavra “não”, dita pelo pai, é importantíssimo para estabelecer na mente dessa criança o sentido da obediência. A criança sempre põe o pai à prova, como, por exemplo, quando ouve: “Não coloque o dedo na tomada, senão levará um choque”. Certamente essa criança irá desobedecer para ver o que acontecerá. Isso é natural dela. Repreendendo seu filho com amor e firmeza em sua palavra, esse pai conquistará a obediência e a confiança desse filho. Na adolescência e início da juventude, quando os filhos pensam que podem tudo, que entram e saem de casa quando e como querem, é dever do pai estabelecer e fazer valer os limites adequados. Estes serão aceitos, pois os filhos reconhecem a autoridade paterna quando esta é exercida.

2) Proporcionar proteção espiritual

O pai, como sacerdote do lar, tem a responsabilidade de interceder diante de Deus pelos seus filhos, ensinar os caminhos de Deus a eles, incentivá-los à leitura da Bíblia, levá-los à igreja e compartilhar com eles os ensinamentos de Deus. Deve ser iniciativa de o pai estabelecer horários de oração e de leitura da Bíblia dentro de casa. Vale lembrar que os filhos amam imitar a seu pai. Constituindo dentre de casa o hábito pela leitura e pelo estudo da Palavra de Deus, o pai estará contribuindo para que esta cultura seja seguida por suas futuras gerações.

3) Trabalhar na emancipação dos filhos

O momento de lançar os filhos ao mundo é muito importante. Os filhos precisam ter sua própria identidade, escolher os próprios amigos e os lugares que querem frequentar. Se eles receberam uma boa orientação e todo suprimento emocional e espiritual de que precisam, isso ocorrerá sem maiores problemas, pois, mesmo emancipados, estes filhos darão ouvidos aos seus pais quando estiverem diante de uma prova. A principal arma dos pais, depois que os filhos são emancipados, é a oração.

4) Oferecer proteção emocional

O pai precisa transmitir confiança, segurança, aceitação e respeito aos filhos. Para isso, não deve economizar amor, elogios nem, principalmente, carinho. Sem contato físico a criança morre emocionalmente. Os filhos sentem prazer em ganhar um caloroso abraço do pai, em se sentirem acolhidos no seu colo, em receber afeto. Isso é tão importante que o pai, ao corrigir o filho com amor e sem brutalidade, deve evitar fazê-lo com as próprias mãos. Procure usar uma varinha ou mesmo um chinelo, reservando suas mãos para acarinhar seus filhos.