Caminho da perdição ou da salvação: qual você quer trilhar?

“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; mas estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram”. (Mateus 7:13-14)

O caminho da perdição nós achamos que é somente o da prostituição, mas Jesus nos diz que ele está em todas as áreas; como por exemplo, não atingir o objetivo almejado. Perdição significa “desperdício”.

Caminho da vida, no original, significa o estado de alguém que está cheio de vitalidade, animado, ativo, abençoado. Nós que escolhemos o caminho que vamos andar. Você escolhe com quem vai se casar, escolhe se seu casamento vai ser uma bênção ou uma maldição, escolhe como vai tratar seu cônjuge, o que vai comer, como vai tratar seu filho; você faz escolhas em todas as áreas e em todos os momentos da vida. Mas infelizmente, nós nos acostumamos com escolhas erradas, com o caminho de desperdício, de destruição, porque é mais fácil. Mas podemos escolher entre a vida ou a destruição.

No texto acima Jesus fala sobre o caminho que devemos percorrer para ter uma família e relacionamentos abençoados. Quando falo família, falo de uma reunião de pessoas, de pai, mãe e filhos comprometidos com algo maior.

Jesus queria nos mostrar que o caminho que leva a uma vida de resultados é pouco percorrido e depende de nossa escolha. O caminho, no original grego, significa “curso de conduta”. Caminho, aqui, significa “forma de pensar, sentir e decidir”. Todos os dias estamos escolhendo o caminho que vamos trilhar em nossos relacionamentos; todos os dias você escolhe o que vai sentir, pensar e agir.

Então, o que você está passando para os outros? Quando você chega em casa, qual o ambiente que traz consigo? É sobre isso que Jesus nos fala. Qual é sua decisão, qual é o caminho que você vai andar? O caminho da harmonia ou o caminho da desarmonia? Isso tira a responsabilidade de Deus e a coloca sobre você. Muitas vezes temos o costume de achar que nossa vida anda de acordo com aquilo que Deus quer, mas Ele já decidiu o que quer para nós, e é um futuro de paz, prosperidade e harmonia.