Não viva respaldado em verdades subjetivas

Verdade subjetiva é a verdade pessoal. É a minha verdade, é a sua verdade e ela é composta da minha emoção, dos meus sentimentos e também dos meus pensamentos. O que pode ser verdade pra mim, pode não ser pra você. Se você pegar duas pessoas da mesma família, vai perceber que elas têm visões diferentes daquele mesmo ambiente familiar. Presenciei isso centenas de vezes no consultório, como terapeuta familiar.

Quando você atende uma família, você quer ouvir como eles veem a própria família. Os filhos, principalmente, têm uma leitura. Se tem três filhos, tem três verdades sobre a família. Você sabia disso? Cada um tem a sua interpretação.

Então, a verdade subjetiva não está certa, nem está errada. É a maneira com que você percebe o mundo. Só que viver em cima dessa verdade subjetiva não tem futuro por isso, várias pessoas estão com tanta depressão. Por isso, há tantos casos de síndrome do pânico. As pessoas têm perdido o rumo e só Deus pode nos dar o rumo. Só Deus, por meio da Sua Palavra, pode nos colocar no prumo. As nossas interpretações muitas vezes podem trazer ressentimentos e dores sobre as nossas vidas.

Ás vezes, você atende o casal e para o homem o casamento está maravilhoso, mas a mulher está querendo separar. Mas aquilo é a verdade dela. Para ela o casamento não está bem, mas para ele está tudo ótimo. A maneira como ele vê, a maneira com que ele se relaciona com aquela verdade que está diante dele é outra. Então, nós podemos perder relacionamentos, nós podemos nos afastar, inclusive, de pessoas que nós amamos porque nós queremos que a nossa verdade subjetiva se torne verdade objetiva. Lembre-se, a sua verdade está certa para você, mas pode não ser a mesma percepção que a outra pessoa tenha.